05/01/2011 as 05:30am meu despertador ja estava tocando, pois as 06:00 a minivan com a excursao a grande muralha estaria passando pelo Hotel. E ali estava, pontualmente onde uma pequenininha guia com um boné rosa de pelucia que escondia seu rosto, estava esperando. Durante o trajeto passamos por mais tres hostais onde mais viajantes de diferentes nacionalidades iam enchendo a mini-mini-van. Os assentos apertados expremiam meus joelhos mas a ansiedade de chegar era tanta que deiei para preocuparme com isto na volta. Durante o caminho que seria bastante longo, aproximadamente 3 horas, iamos discretamente nos conhecendo: 3 meninas do Canada, 1 Alemao, 2 Russos, Australianos, e claro, la no fundo escutava um castellano muito familiar, e antes tarde do que nunca, aí me estava encontrando com Espanhóis.

Chegamos a Jinshanling, no qual as 3 horas de viagem, segundo informaçoes, sao realmente valiosas por proporcionar vistas incríveis da grande muralha. Durante o caminho ja haviamos alimentado as epectativas com um pequeno tramo da muralha, mas chegando a Jinshaling ficamos impressionados com a impressionante vista que tinhamos desta grande construçao que entre curvas, subidas e descidas contornavam as montanhas fazendo suas torres se destacassem entre a paisagem.

Na verdade se necessita algum preparo para conhecer esta parte da muralha, pois as subidas, descidas, escadas no qual em alguma parte se necessita praticamente escalar, fazem com que 4 a 5Km sejam percorridos em 2 horas.

Nesta caminhada tive o prazer de conhecer Carlos e Sandra, ele espanhol de Madrid e ela uma Sueca que fala muito bem o castellano e ja mora na Espanha a mais de 4 anos. Possuem um hobby interessante – Viajar –  e com isto ja percorreram todos os continentes. Nossa vontade de sempre chegar a próxima torre, fez com que o grupo ficasse para tras e de pouco a pouco viamos o pessoal desistindo e ficando pelo caminho. O problema que cada torre, siginificavam uns 300 ou 400 metros de distancia, e assim fomos até que nosso fisico aguentou e até onde tivessemos a certeza que estavamos nas melhores vistas possíveis. Esta passagem me lembrou quando eu estava com Alex e Sascha no monastério nas montanhas da Mongólia, onde nos deparamos com uma montanha de pedras e que tinhamos certeza que nos proporcionaria uma boa vista, onde começamos a subir – mesmo com a guia gritando dizendo que era perigoso –  e nos olhamos e fizemos a mesma pergunta: “Why not? We don´t know when will be our next time here, if we will have……..” e olhamos para cima e seguimos, e o resultado foi incrível………. – E assim foi Carlos e Sandra, nos fizemos a mesma pergunta e qualquer cansaço era pouco perto da expectativa da próxima vista. A cada olhada para trás uma surpresa, aquela construçao era incrível e de pensar que estavamos em uma infima parte dos 7.300 Km desta magnifica construçao.

Por incrivel que pareça, éramos o unico grupo de turistas que estavam ali naquele momento, e isto é muito dificil acontecer, mas foi excelente para poder apreciar cada detalhe e em alguns momentos estar “sozinho” com a grande muralha, certamente um detalhe que nao tem preço..!!!!!

Na volta, já cansados e satisfeitos com o passeio e depois de um almocinho servido para nosso grupo, voltamos a Pequim, todos exaustos e dormindo de forma completamente desconfortavel, mas com algo em comum: Todos estivemos na legendária e Grande Muralha da China….

Abaixo algumas fotos:

El pase de diapositivas requiere JavaScript.

Anuncios